20050525

Agradecendo a lembrança do Adrian e embora o primeiro momento de descompromisso diante do computador tenha demorado mais que o previsto, aí vai. Ando muito "técnico" atualmente, lamento, e é provável que algumas referências se repitam (talvez muitas vezes) nas respostas a este questionário.

1. Não podendo sair do fahrenheit 451, que livro quererias ser?

Collected Papers of Charles Sanders Peirce, vol. 5 (Pragmatism).

2. Já alguma vez ficaste "apanhadinha(o)" por um personagem de ficção?

Ficção? O apego é passageiro demais para que fique registrado. Mas citaria Hal, mesmo sem ter lido IJ (é, acredite, ainda não li; e talvez se desfaça quando o ler).

3. Qual foi o último livro que compraste?

IJ (ainda aguardando ... não apenas chegar em minha caixa de correio como também a conclusão de meus dois projetos de tese para iniciar a leitura). Também "Theory of learning in games", Drew Fudenberg e David K. Levine.

4. Qual o último livro que leste?

Breves entrevistas com homens hediondos, edição da Companhia das Letras. Também "Categories for the Working Mathematician", Saunders Mac Lane, embora não seja exatamente o tipo de livro que se leia, mesmo no contexto da literatura técnica.

5. Que livros estás a ler?

White Noise, Don DeLillo.

6. Que livros (5) levarias para uma ilha deserta?

a. Collected Papers of Charles Sanders Peirce (orig. 1932-1958), Belknap Press, 8 vols. (2896 p.)
b. The artilect war: Cosmists vs. Terrans -- A Bitter Controversy Concerning Whether Humanity Should Build Godlike Massively Intelligent Machines. Hugo de Garis.
c. Etiquette in Society, in Business, in Politics and at Home. Emily Post.
d. [Um livro ainda não publicado, mas a leitura de alguns capítulos -- General Intelligence and Self-Improving AI, Artificial Brains, Developing True Software Intelligence Inspired by Evolutionary and Biological Processes, Epigenetic Programming, ... -- disponibilizados por seus autores me colocou em alerta) Real AI: New Approaches to Artificial General Intelligence. Editado por Ben Goertzel e Cassio Pennachin, ainda aguardava contribuições há poucos dias.
e. Economics and Language, Cambridge University Press, 2000. Ariel Rubinstein.

7. A quem vais passar este testemunho (3 pessoas) e porquê?

Não há muitos que se pronunciem de algum modo a visitar periodicamente este blog (razões evidentes), exceções raras sendo, talvez, os autores do Apeirophobia e do Naïf Gendarme, ambos já atingidos. Entre as outras (poucas) páginas que me lincam, em algumas, como no Warfare State, não parece ser de bom tom que o autor poste a resposta a esse questionário (e tampouco nos Progressistas. Assim, não é com pouco esforço que seleciono três pessoas a quem passar o questionário (e nisso a maior parte da justificativa fica colocada, infelizmente): Renato C. Drummond, Van Lampert, e a alguém que apenas leio, o autor do Delta-Bar-Delta, com diferentes possibilidades de que fiquem sabendo disso.