20041125

Quimiotaxia e Otimização.

II. Estratégias para Busca de Alimentos

A mencionada maximização da razão entre volume de energia obtida e tempo dispendido na sua obtenção (ou, de outra forma, a maximização do volume de energia obtida por unidade de tempo) garante ao indivíduo, além dos nutrientes necessários ao funcionamento de seu mecanismo metabólico, tempo adicional para dedicar-se a outras
importantes atividades (reprodução, descanso, construção de abrigos, migração). Claramente, o espectro de vantagens que um conjunto eficiente de estratégias de obtenção de nutrientes oferece é amplo.

As características de cada grupo de espécies influem, em grande medida, na formação de alguns padrões de similaridade entre as formas usadas para conseguir alimento. Assim, para espécies para as quais a obtenção de nutrientes não parece ser difícil, a quantidade que deve ser ingerida é grande (nos herbívoros, por exemplo).
Para outros grupos de espécies, a ingestão de pequenas quantidades com alto valor nutritivo, ainda que sua obtenção seja difícil, pode ser mais vantajosa (carnívoros).

A atividade de busca boa parte das vezes passa por decisões como quando um indivíduo ou grupo deve entrar em um nicho para buscar nutrientes, ou quando continuar a busca no nicho atual ou buscar outro. Embora em geral sejam encontrados de forma sequencial, o deslocamento entre nichos pode envolver um esforço (riscos)
considerável. Assim, uma decisão como essa deve passar pela avaliação dos esforços e riscos envolvidos. Por exemplo, permanecer em um nicho enquanto este ainda apresentar nutrientes pode ser perigoso quanto a aproximação de predadores: mesmo que haja proteção dentro do nicho a presença do predador (que muitas vezes pode ter
grande resistência) pode impedir o deslocamento do grupo por tempo suficiente para que os recursos se esgotem.

A formulação das estratégias de busca como um problema de otimização deu origem a uma série de ferramentas computacionais e analíticas que ajudaram a compreender a forma como as decisões envolvidas são tomadas. Ao mesmo tempo, foram estabelecidas estratégias ótimas, dadas todas as restrições relevantes envolvidas. Ainda que
biologicamente essa otimização não encontre validade considerável, pode-se dizer que as espécies implementam um modelo aproximado desses mecanismos (ótimos) de controle.